Envie seu whats:
(54) 99664-0955

MEGA NEWS Ver +


Mais de 180 empresas fazem boicote à publicidade no FacebookMais de 180 empresas fazem boicote à publicidade no Facebook

Compartilhe:
Publicado em 29/06/2020, Por Poder 360

O movimento Stop Hate for Profit (pare de dar lucro ao ódio, em inglês), uma campanha de boicote à publicidade no Facebook no mês de julho, já tem a adesão de mais de 180 empresas. Muitas são pequenas e médias companhias dos Estados Unidos, mas alguns grandes nomes com atuação mundial anunciaram que vão aderir a iniciativa.

Entre as grandes empresas estão: Unilever, Coca-Cola, Pepsi, Starbucks, Honda, Veriroz, The North Face e, recentemente, Diageo, Levi’s e Viber. Eis a lista completa das empresas que participam do movimento.

Com a forte desvalorização das ações no índice Nasdaq nos Estados Unidos, o Facebook perdeu US$ 74,6 bilhões na última semana. A maior fonte de receita da rede social é com publicidade. Por isso, o boicote de grandes empresas tem 1 impacto significativo na companhia de Mark Zuckerberg.

Na última 6ª feira (26.jun.2020), o CEO e fundador do Facebook anunciou regras para endurecer o combate ao discurso de ódio em publicidades feitas na plataforma.

Sendo uma das empresas que vai boicotar o Facebook, Diageo é uma gigante do setor de bebidas que detém as marcas Johnny Walker, Cîroc, Smirnoff, Tanqueray e Guiness, entre outras. O anúncio do boicote foi feito na noite de sábado (27.jun.2020). Em comunicado, a empresa disse que não fará mais anúncios nas maiores redes sociais a partir de 1º de julho. “Vamos continuar discutindo com os parceiros de mídia como podemos lidar com esse conteúdo inaceitável”, disse, referindo-se ao discurso de ódio presente nas plataformas.

A Levi Strauss & Co., empresa de vestuário conhecida pela Levi’s, em comunicado divulgado na 6ª feira (26.jun.2020), afirmou que a decisão de parar de anunciar tanto no Facebook quando no Instagram deve-se a uma preocupação com a falha das redes sociais “em impedir a disseminação de informações erradas e o discurso de ódio em sua plataforma”. “Acreditamos que essa inação alimenta o racismo e a violência e também tem o potencial de ameaçar a nossa democracia”, afirma.

A Viber, que é responsável pelo aplicativo de ligações e troca de mensagens com o mesmo nome, informou, por meio do Twitter, que, além de parar a publicidade, vai remover todas as ligações relacionadas ao Facebook do aplicativo, como o Facebook Connect, Facebook SDK e GIPHY. “O Facebook usa os dados dos usuários de forma errada, não fornece privacidade em seus aplicativos e adotou uma postura ultrajante, evitando as medidas necessárias para proteger o público de uma retórica violenta e perigosa”, disse o CEO da empresa, Djamel Agaoua.

A Mozilla, que está por trás do navegador Firefox, disse, em nota, que não anuncia no Facebook e no Instagram desde março de 2018, quando “ficou claro que a empresa não estava agindo para melhorar a falta de privacidade do usuário que foi descoberta com o escândalo da Cambridge Analytica”. Agora, se junta ao movimento e pede “que o Facebook tome medidas firmes para limitar o conteúdo odioso e divisor em suas plataformas”.

(FOTO: CANVA)