Envie seu whats:
(54) 99664-0955

MEGA NEWS


Avança a Grande Muralha Verde de 8.000 km de árvores para salvar a África e o mundoAvança a Grande Muralha Verde de 8.000 km de árvores para salvar a África e o mundo

Publicado em 15/05/2019, Por Nationalgeographic

O projeto "A Grande Muralha Verde" poderia ajudar a salvar a vida do nosso planeta. Trata-se de um projeto em que 14 países do continente africano colaboram, plantando milhões de árvores em torno do deserto do Saara.

O principal objetivo deste projeto é acabar com as mudanças climáticas e estão indo muito bem. Em 2004, a África sofreu sérias consequências devido a isso e, desde então, mais de 20 países começaram a se projetar para deter as mudanças climáticas.

Deve-se destacar que as organizações internacionais também se uniram para criar a Grande Muralha Verde da África. O projeto começou em 2007 após sua aprovação pela União Africana e os resultados impressionaram o mundo.

Em princípio, eles planejaram fazer uma parede de árvores de quase 8.500 km de comprimento e 15 km de largura entre o Senegal (oeste) e Djibuti (leste). Com isso, eles pretendiam impedir o crescimento do Saara ao sul e evitar que se expandisse ainda mais.

Depois de 10 longos anos de trabalho, você já pode ver os bons resultados em países muito colaborativos como o Senegal. Milhões de árvores foram plantadas hoje e um grande número é de espécies nativas, como a ameixa indiana, a árvore do deserto ou as acácias.

Logicamente, estas árvores foram escolhidas porque se adaptam aos severos climas africanos, especialmente as acácias que resistem às secas e a sua sombra salvam o uso da água em explorações agrícolas.

O investimento inicial foi de mais de 6.000 milhões de euros, e o objetivo da Grande Muralha Verde é dividido em duas partes: Por um lado, procura acabar com o efeito negativo da mudança climática. Por outro lado, tente evitar a desertificação de terras habitadas por milhões de agricultores.

Ainda há muito trabalho, já que o projeto não é apenas plantar árvores. Uma represa e um enorme sistema de irrigação também serão construídos para aumentar a agricultura nos países da África.

De acordo com relatórios da ONU, estima-se que cerca de 500 milhões de africanos irão testemunhar o agravamento da qualidade de vida devido ao aquecimento global. Eles também mencionaram que cerca de 50 milhões de pessoas ficaram desabrigadas por causa da desertificação do Saara e do Sahel.

 

 




Compartilhar: FACEBOOK